Equipe de instalação da estação piloto no rio Javaés

O rio Javaés, no Tocantins, se tornou nessa quinta-feira (10/09) o primeiro rio federal do país a contar com uma estação telemétrica para o monitoramento remoto de captações. Após a definição da solução tecnológica mais adequada para as condições do rio Javaés, uma Estação Piloto foi instalada na captação da Fazenda Dois Rios (Lagoa da Confusão - TO), com o objetivo de testar a inovação tecnológica que será instalada em todas as captações da bacia e que poderá ser replicada em outras regiões de conflito do Brasil.

A Estação Piloto faz parte do projeto “Monitoramento Remoto das Captações no Rio Javaés”, uma parceria firmada pela Agência Nacional de Águas (ANA) com a Universidade Federal do Tocantins (UFT), por meio do Instituto de Atenção às Cidades (IAC), responsável pela inovação denominada Gestão de Alto Nível – GAN que faz a medição, telemetria e disponibilização das vazões e volumes consumidos pelas captações de água.

Com o monitoramento automático das vazões, a ANA poderá acompanhar diretamente da sua sede as 25 captações do rio Javaés, ao longo de 19 pontos, pertencentes a 14 empreendimentos, e assim ter uma resposta imediata do cumprimento da regra operativa especial que vigora na região desde 2013. Também os usuários poderão acompanhar suas próprias captações e a adequação à regra operativa em tempo real, e não incorrer mais no risco de desrespeitar essa regra por dificuldade de acesso às informações de nível.

A tecnologia desenvolvida pelo IAC/UFT já está implantada em todas as 94 bombas da bacia do rio Formoso (TO) e utiliza uma infraestrutura física em campo, com medidor de vazão ultrassônico, transmissor de dados e micro usina solar e uma infraestrutura computacional de TI na outra ponta, para armazenar e disponibilizar as informações de vazão e consumo, em tempo real, em um Portal Espacial na internet (https://gan.iacuft.org.br). O sistema também conta com um aplicativo para dispositivos mobile, disponível na App Store e Google Play.

Com a instalação da Estação Piloto no rio Javaés, a Agência testará a tecnologia em um rio de domínio da União. Após essa fase de testes, todas as 25 bombas de captação dos usuários do Javaés receberão essas estações. A previsão é que até o final do ano, todas as bombas de captação de água estejam monitoradas pelo sistema.

“A instalação da Estação Piloto no rio Javaés é um marco para a fiscalização dos usos da água no Brasil. Com esse sistema pretende-se monitorar, em tempo real e remotamente, as vazões e volumes de água captados pelos usuários outorgados o que associado com as informações de nível do curso d’água poderá permitir uma gestão mais eficiente dos recursos hídricos. Além disso, os usuários cientes dos níveis de disponibilidade e de demanda, tornam-se mais conscientes e participativos da gestão em prol da segurança hídrica”, afirmou o superintendente de Fiscalização da ANA, Alan Vaz Lopes.

O coordenador geral do projeto Dr. Felipe Marques, presidente do IAC/UFT, destacou que “o objetivo principal da solução é reduzir as incertezas sobre a disponibilidade e a demanda dos recursos hídricos. O GAN é a primeira plataforma que unifica o monitoramento da disponibilidade e da demanda hídrica. Com essa tecnologia é possível monitorar remotamente e em tempo real o nível e a vazão dos cursos d’água e a vazão e o volume das captações. E com essas informações disponíveis fica mais preciso o diagnóstico de problemas, as ações corretivas também ficam mais objetivas e os resultados tendem a aparecer naturalmente”.

O coordenador técnico, Dr. Ary Henrique (IAC/UFT) explicou que “a parceria com a ANA tem sido desafiadora, uma vez que a cooperação dos especialistas da ANA e da UFT leva essa tecnologia para outro patamar. Quando se trabalha com inovação e tecnologia não existem limites. A sociedade tem interesse e ao se conhecer melhor a situação dos recursos hídricos poderá contribuir de formas que a gente ainda nem imagina.”

Para o usuário Anilton Bardini da Fazenda Dois Rios Ltda, que já conhece o sistema de monitoramento GAN, já que também fazem captação no rio Formoso “a tecnologia é bem vinda e todos os usuários têm consciência que as informações são importantes para garantir uma melhor gestão da água em benefício de todos. Nós produtores precisamos de segurança quanto ao uso da água e esse monitoramento das captações associado às regras semafóricas do nível d’água nos leva a um uso mais responsável, que dá mais tranquilidade a todos.”

A equipe do IAC/UFT responsável é coordenada pelo Prof. Felipe Marques (Doutor em Recursos Hídricos) e inclui os professores da UFT Ary Henrique (Doutor em Sistemas de Informação), Humberto Xavier (Doutor em Telecomunicações), Fernán Vergara (Doutor em Recursos Hídricos) e Glenda Botelho (Doutora em Ciência da Computação), além dos especialistas Thaylon Guedes (Mestre em Computação) e Marcelo Freitas (Especialista em Macromedição) e dos estudantes estagiários Luan Alencar, Mateus Silva, Rafael Silva e Lorran Macedo dos cursos de engenharia civil e ciência da computação da UFT.

A Estação Piloto estará em testes até o final de setembro e até o final de 2020, todas as 25 captações do rio Javaés deverão estar sendo monitoradas.

Todos os direitos reservados - Instituto de Atenção às Cidades da Universidade Federal do Tocantins.